10 dicas para ajudar filhos a aproveitar melhor os estudos

Brincar com os colegas antigos, fazer novos amigos e se relacionar bem com os professores são comportamentos comuns da maioria das crianças no período escolar. Essa fase pode ser aproveitada também para criar uma rotina de estudos dos filhos e ajudá-los a se organizarem, visando um melhor aprendizado. A pedagoga Francisca Paris, mestra em Educação e diretora de serviços educacionais da Editora Saraiva, ensina 10 dicas para colocar isso em prática. 

Estabelecer regras claras

"É preciso ensinar as crianças a viver cada momento intensamente, fazendo-os compreender que a vida é feita de ciclos em que ora se estuda, ora se descansa. Com a volta às aulas, eles devem saber que acabou o espírito das férias", diz.

Criar uma agenda com atividades e horários

"Quando se tem uma organização e se sabe o dia certo para entregar cada trabalho, o aluno se dedica na ordem certa, de acordo com as datas. Também evita deixar de cumprir as atividades e esquecer os materiais para a aula do dia seguinte, que devem ser arrumados no dia anterior, não a cinco minutos de sair de casa".

Cumprir corretamente os horários

"A criança tem que estar na escola no mínimo 10 minutos antes do início da aula. Quem chega atrasado perde importantes partes, como a explicação inicial de como será a atividade do dia e quais materiais serão usados. Um atraso de 15 minutos pode não parecer nada, mas faz com que ela chegue atrapalhada", afirma.

Ter vários materiais de consulta

"Claro que a internet tem tudo, mas há outras opções de pesquisa, como arquivos de fotografia, periódicos e enciclopédias. O importante é saber consultar. O 'Ctrl C + Ctrl V' é a primeira pesquisa, mas depois é preciso analisar esse conteúdo e escrever sobre ele com suas próprias palavras", recomenda.

Estudar diariamente

"Deixar para estudar às vésperas de uma prova é péssimo, porque se conta somente com a memória e não se aprende de fato. Estudar diariamente é o ideal, porque aprende-se um pouco por dia".

Questionar, sempre

"Aluno bom é aquele que tem dúvidas. Escola é o lugar de perguntar, então temos que fortalecer o 'Não entendeu? Pergunte!'. Não existe questão imbecil, o aluno pode perguntar qualquer coisa", diz.

Manter um local próprio para os estudos

"As crianças e jovens de hoje são capazes de fazer várias atividades ao mesmo tempo, mas estudar exige concentração e dedicação. O corpo tem que parar! Esse lugar não precisa ser luxuoso, basta ter uma cadeira e uma mesa para ele e um horário reservado para o estudo, sem ser incomodado. É importante o hábito de se reservar um tempo para isso – meia hora por dia, por exemplo –, sem sacrifícios, porque deixar para adquiri-lo na adolescência é muito mais penoso", explica.

Obter a progressão do aluno

"O objetivo da escola é a aprendizagem, o crescimento em relação a ele mesmo, sem comparações com o restante da classe. Cada criança é única, assim como seu desenvolvimento. A escola tem que ser significativa e não utilitária, já que serve para nos ensinar o que a humanidade construiu", afirma.

Deixar as crianças com tempo livre

"Crianças não podem ser submetidas a uma rotina rígida. Os pais passam sua ansiedade para elas e há casos de pequenos hipertensos e estressados porque estão com a agenda sobrecarregada. Não é preciso ser 8 ou 80, mas sim parar com essa ideia obsessiva de preparação e recuperar o brincar. Infelizmente muitas crianças só conhecem o mundo pela televisão e pela internet", alerta.

Estreitar relações com os filhos

"Os pais devem perguntar a eles como foi o dia, o que teve de bom e o que não ficou claro no que aprenderam, além de participar das atividades da escola. Mesmo que não possam ajudá-los, farão parte da vida deles. O mesmo vale para pequenos sinais de bullying, que crianças e adolescentes muitas vezes não falam espontaneamente, mas acabam revelando-os quando são questionados", finaliza.

Fonte: Vix